[ Voltar ]Home ]

Matéria publicada no Site: www.joiabr.com.br

PRETO E BRANCO
MAIS QUE MODA



Márcia Pompei(*)




É impressionante perceber quão grande é o poder da Moda. Ela é capaz de lançar novidades ou resgatar antigos conceitos incorporando-os às nossas vidas com uma rapidez e "espontaneidade" assustadoras.

Nos dias de hoje estamos vendo a volta do Preto e Branco com uma força tão grande que fica difícil lembrar de outras cores. Ou não lembrar da charmosa estilista Coco Channel, com sua bela camélia branca sobre uma lapela negra.

Afinal, o que são o preto e o branco? São mesmo cores?

Falando de luz natural, a cor Branca é aquela que possui todas as outras, podemos dizer então que é a mais completa já que aqui o preto é a ausência de cor, ausência de luz. No entanto entre os pigmentos, mais especificamente na indústria gráfica, o preto é a cor formada por todas as outras juntas, realmente a mais completa, quando o branco é a ausência de cor, ausência de pigmento. Isso é bastante contraditório.

Para a Psicologia, o preto é a cor que expressa a ausência de consciência, o aprofundamento na obscuridade.

No Ocidente tem sido grande o preconceito para com as pessoas de pele negra; no entanto, a grande história do Cristianismo conta que um dos reis magos era negro.

Igualmente grande é o preconceito com relação a animais escuros, como a popular superstição do gato preto associado com falta de sorte.

Mas a cor preta também é vista como um símbolo de negação da vaidade material, talvez esse seja um dos motivos pelos quais os sacerdotes católicos tenham usado essa cor em suas batinas por longo tempo.

O preto é usado no período de luto e representa também a promessa da futura ressurreição.

Na cultura hindu encontramos algumas divindades cuja cor é o preto, normalmente são assustadoras.

Vale a pena lembrar o culto às Madonas Negras européias (Czestochowa, Tarragona, Guadalupe, Chartres, Montserrat entre outras). Há indícios de que estejam associadas à Lua Negra Hécate, uma divindade maternal pré-cristã.

A padroeira dos ciganos, Sara-la-Kali, também tem a cor negra.

Mas, falando do branco, devemos nos lembrar de que o símbolo representante do Espírito Santo é a pomba branca.

Em algumas culturas essa cor é vista como a representação da inocência privada de influências, é a meta final do homem durante o processo de purificação.

Mas o branco também pode ser visto com negatividade, como a palidez da morte. No Oriente é a cor da velhice, do outono.

Preto e Branco, além de elegantes, estão associados ao Yin e Yang, antiga representação chinesa do dualismo. O Yin é o feminino, o Norte, o frio, a doçura, a terra, a passividade, a umidade, a escuridão, o preto; o Yang é o masculino, o Sul, o calor, a dureza, o céu, a atividade, a secura, a luz, o branco. A forma como estão representados mostra claramente, numa cultura tão antiga e sábia, a necessidade de integração das duas forças, Yin atrai Yang que atrai Yin e assim infinitamente. Não há conflito ou disputa entre preto e branco, feminino e masculino, mas sim a complementação de um pelo outro. Esse antigo símbolo mostra que: um só faz sentido ao lado do outro, um só existe porque o outro também existe.

É a beleza dos diferentes. O grande presente!!!

Portanto abuse dessas cores que estão juntas na moda e no bom senso.

Bibliografia
Dicionário Ilustrado de Símbolos
Hans Biedermann
Editora Melhoramentos

Enciclopédia de Conhecimentos Esotéricos
Alfredo Nieva
Editora Professor Francisco Valdomiro Lorenz


[ Índice ]

(*) Márcia Pompei - Designer de jóias e professora de joalheria e especializações
no Atelier Márcia Pompei

[ Topo da página ][ Voltar ]Home ]