[ Voltar ] Home ]

Matéria publicada no Site: www.joiabr.com.br
 

CORRENTE
O SÍMBOLO DA UNIÃO

Márcia Pompei(*)




 

Estamos assistindo, perplexos, a invasão das correntes na grande maioria das vitrines que apresentam jóias, acessórios, bijouterias e demais componentes dessa família.

Uma tendência dos saudosos anos 60 e 70 que volta com força total. Graças a um designer que trabalhava um estilo "hippie" e vendeu muito para artistas, cantores. Esteve fora da área durante anos e agora voltou com tudo, vendendo para clientes famosos, modelos, apresentadores, socialites, que poderiam ser, como ele mesmo menciona em entrevista, "seus netos".

Tendências à parte, o fato é que estamos aqui para mostrar um outro lado da corrente, de seus elos mágicos que podem ter significados que vão muito além do sonho de consumo das mulheres mais elegantes da nossa sociedade.

Em diversas culturas e crenças a corrente é o símbolo maior da União.

Na Maçonaria é recordada no fim dos trabalhos quando os integrantes se dão as mãos em círculo, formando a "corrente fraternal". Cada elo da corrente é visto como um anel de um dos participantes. A própria Maçonaria é vista como uma grande corrente que circunda a Terra além das fronteiras. Um dos inúmeros segredos dessa Liga é o fato de contornarem o túmulo de um integrante com uma corrente de metal.

Na crença Cristã a corrente de ouro tem um significado muito forte, ela une Deus aos homens. Segundo Homero, Deus ordenou que se prendesse uma corrente dourada entre o céu e a terra, dando assim a esperança ao homem de que este poderia alcançar a perfeição e pureza de espírito guiando-se por um "bom caminho".

Na antiga Alquimia um famoso emblema mostra uma águia presa por uma corrente a um sapo, é a representação da tensão entre o "fixo", o racional, e o "volátil".

O rosário, utilizado por diversas crenças, seitas e religiões, não deixa de ser uma corrente, uma fileira de contas unidas entre si por um cordão. É utilizado por budistas, hindus, muçulmanos, católicos, jainistas entre outros. Seu uso está vinculado às orações que são proferidas a cada nova conta que é tocada.

O "Masbarrat" (Macebha) é um rosário de 33 contas divididas em 3 partes, muito utilizado por povos do Oriente Médio e Grécia. Costuma-se utilizar o âmbar, metais ou materiais mais leves na sua confecção, mas podem ser encontrados em diversas gemas. Acredita-se que o âmbar em contato com a pele filtra as energias purificando-as. Atualmente nos grandes mercados do Oriente podemos encontrar "Masbarrats" que utilizam contas plásticas, isso possibilita uma redução em seu custo. O "Masbarrat" é utilizado em orações e também para aliviar o stress.

As correntes que vemos hoje nas vitrines são em sua maioria muito grossas, pesadas, longas e em prata. Sendo assim, podemos dizer que elas são grandes proteções contra maus fluidos, maus espíritos, e que invocam o feminino no ser humano, tornando-o mais sensível, mais intuitivo, mais "suave".

Não importa o tamanho, o metal, o preço, a grife, o importante é usar aquilo que lhe agrade e que tenha alguma relação com você. Libere seus instintos e guie-se por sua intuição, você não vai errar!


[ Índice ]

(*) Márcia Pompei - Designer de jóias e professora de joalheria e especializações
no Atelier Márcia Pompei

[ Topo da página ][ Voltar ]Home ]